Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2018

Nova York de Woody Allen: Carruagens no Central Park

Imagem
No filme mais recente de Woody Allen,  A Rainy Day in New York (ainda sem título em português e previsão de lançamento incerta), ele mostra os jovens Gatsby (Timothée Chalamet) e Ashleight (Elle Fanning) fazendo um passeio de carruagem pelo Central Park. Quem conhece a filmografia do diretor, sabe que esse é um dos seus métodos favoritos de mostrar casais de enamorados em cena. Elle Fanning e Timothée Chalamet num passeio de carruagem pelo Central Park. Foto: divulgação A primeira vez que Allen filmou um casal fazendo esse tipo de passeio foi para o filme Manhattan  (1979). Na cena noturna, Isaac (personagem dele) e Tracy (Mariel Hemingway) namoram e trocam confidências, embalados por  He Loves and She Loves , de George Gershwin. Isaac e Tracy em  Manhattan Foto: divulgação Passaram-se mais de trinta anos até o cineasta escalar uma outra dupla para repetir o famoso tour pelo parque. Isso aconteceu em Café Society  (2016), com Bobby (Jesse Eisenberg) e Vonnie (Kristen St

Nova York de Woody Allen: "Roda Gigante" (2017)

Imagem
Carolina chegando em Coney Island, na primeira cena de Roda Gigante . Atrás dela está o  Wonder Wheel , brinquedo que inspirou o título original do filme. Foto: divulgação Ao longo de sua carreira, Woody Allen sempre fez questão de mostrar o carinho que sente por Coney Island em seus filmes. Ele fez isso em  Noivo Neurótico, Noiva Nervosa ,  A Era do Rádio  e  Café Society . Em 2017, o ápice dessa relação do diretor com a orla de sua infância foi atingido com o lançamento de  Roda Gigante : um filme ambientado quase que inteiramente por lá, e que exibe no título original o nome de um dos brinquedos do Deno´s Park, o  Wonder Wheel .  Ginny e Mickey em cena na praia de Coney Island. Foto: divulgação Nessa trama, ambientada na década de 1950, o salva-vidas Mickey (Justin Timberlake) nos conta a história de Ginny (Kate Winslet), uma ex-atriz que trabalha como garçonete, é mãe de um garotinho incendiário, Richie (Jack Gore), e é casada, por gratidão, com um alcoólatra, Hum

Nova York de Woody Allen: "Café Society" (2016)

Imagem
"Estamos bebendo vinho no Central Park. Não dormimos. Você sempre teve um toque poeta" (Vonnie para Bobby) Bobby e Vonnie na Bow Bridge. Foto: divulgação Bobby (Jesse Eisenberg) é um jovem nova-iorquino que decide cruzar o país e tentar a sorte em Los Angeles, onde seu tio, Phil (Steve Carrell), é um pistolão de Hollywood. Lá, o rapaz conhece Vonnie (Kristen Stewart) e se apaixona por ela. Acontece que o coração da garota pertence a outro homem. Assim, pouco tempo depois, Bobby retorna para Nova York com o coração partido. Na Big Apple, ele passa a trabalhar com o irmão, Ben (Corey Stoll), no Café Les Tropiques , e começa a colocar a sua vida em ordem, casando-se e tendo um filho. Mas, eis que um dia, o passado bate na sua porta e Vonnie vem fazer-lhe uma visita... Assista esse belo trabalho de Woody Allen para saber o final da história. Sobre as locações nova-iorquinas da trama, confira algumas aqui. "Não pude admirar o amanhecer da Bow Bridge. Mas apre

Nova York de Woody Allen: "Blue Jasmine" (2013)

Imagem
O filme Blue Jasmine (2013) gira em torno da história de Jasmine (Cate Blanchett), uma socialite nova-iorquina que vê sua vida desabar - e o luxo escorrer pelo ralo - quando o seu marido, Hal (Alec Baldwin), é preso por crimes financeiros. Sem dinheiro, a ex-ricaça vai morar com a irmã, Ginger (Sally Hawkins), em São Francisco, e tem que se adaptar a uma realidade muito diferente da qual estava acostumada. Ginger e Jasmine na Fendi. Na época, a loja ficava no 673 da 5th Avenue. Foto: divulgação Quando ainda são ricos e, aparentemente, felizes, Jasmine e Hal recebem a visita de Ginger e Augie (Andrew Dice Clay). O casal de São Francisco aproveita o período de férias para fazer um tour pela Big Apple. E entre os lugares que eles visitam está o South Street Seaport, no extremo sul da ilha. O casal Ginger e Augie conhecendo o South Street Seaport. Foto: divulgação Ao retornar do passeio, Ginger vê Hal sair do Roxy Hotel, acompanhado de uma bela morena (que não é a sua ir

Nova York de Woody Allen: "Woody Allen - Um Documentário" (2012)

Imagem
Woody Allen concedendo uma entrevista dentro da sua townhouse "inglesa", em Upper East Side. Foto: divulgação Woody Allen: um Documentário ( Woody Allen: a Documentary , 2012) foi dirigido por Robert B. Weide, e tem o mérito de mostrar a vida do diretor nova-iorquino desde os seus tempos de criança, no Brooklyn, passando pelas mulheres da sua vida, os seus grandes sucessos no cinema até o ano de 2012, quando ele estava filmando Para Roma, Com Amor . A história dele é contada pelos seus amigos e diretores como Martin Scorsese, e atrizes e atores de diversas fases da sua filmografia, como Diane Keaton, Dianne Wiest, Mariel Hemingway, Scarlett Johanssen, John Cusack e Owen Wilson. Fran Mateus visitando a casa da infância de Woody Allen, no Brooklyn, para o guia Nova York de Woody Allen Nesse documentário, podemos conhecer a casa onde Woody viveu e cresceu, em Midwood, no Brooklyn; a Public 99, escola onde ele estudou quando garoto; e o clube que o colocou sob os hol

Nova York de Woody Allen: "Tudo Pode Dar Certo" (2009)

Imagem
Personagens de Tudo Pode Dar Certo na cena do réveillon. Foto: divulgação Tudo Pode Dar Certo ( Whatever Works , 2009) apresenta a história de Boris (Larry David), um "quase" indicado ao Prêmio Nobel, que é intolerante com os outros seres humanos que possuem um raciocínio mais lento que o dele. Boris acredita ser um dos poucos privilegiados do planeta com visão do quadro geral de tudo na vida. Então, eis que uma noite, aparece uma garota, na porta da sua casa, exibindo todos os defeitos que ele abomina: é simplória, demora para entender as coisas e participou de concursos de beleza. Boris mora na Mott Street, em Chinatown, frequenta as ruas e restaurantes do seu bairro e não costuma visitar lugares turísticos da cidade. Mas, mesmo a contragosto, ele se encarrega de levar Melody (Evan Rachel Wood) para conhecer o Grant Memorial, em Morningside Heights, e a Estátua da Liberdade, do Battery Park. Aos poucos, o homem rabugento vai amansando e se acostumando à presença da

Nova York de Woody Allen: "Melinda e Melinda" (2004)

Imagem
"Se os filmes anteriores fizeram com que eu me interessasse em conhecer a Nova York woodyalliana , Melinda e Melinda foi o que me fez arrumar as malas." (Fran Mateus) Noite de chuva, quatro amigos e duas histórias sobre a mesma mulher: Melinda. Foto: divulgação O início do filme Melinda e Melinda ( Melinda and Melinda , 2004) acontece numa noite de chuva e rua vazia do Meatpecking District. Ali está o aconchegante e animado Café Pastis, restaurante onde quatro amigos comem, bebem e jogam conversa fora. Existe uma discussão entre o pequeno grupo sobre a essência da vida, se ela pode ser definida através da comédia ou do drama. É quando dois deles criam, a partir das mesmas premissas, duas histórias -uma dramática e uma cômica- para uma mulher chamada Melinda (interpretada por Radha Mitchell). A partir de então, somos brindados com dois roteiros que desbravam Nova York com a intimidade de quem a conhecem bem. A Bow Bridge em dois momentos: numa cena do filme e s

Nova York de Woody Allen: "Igual a Tudo na Vida" (2003)

Imagem
"Ao longo da vida, haverá um monte de gente lhe dizendo como viver. Terão todas as respostas para você. O que deve ou não fazer. Não discuta com elas. Só diga: "Sim, é uma ideia brilhante", e daí faça o que quiser." (conselho de Dobel para Jerry) Dobel (Woody Allen) e Jerry (Jason Biggs) caminhado pelo Bridle Path, embaixo da Bridge nº 28 (ou Reservoir Gothic Bridge, como também é conhecida). Foto: divulgação O jovem comediante de stand up, Jerry Falk (Jason Biggs), do filme Igual a Tudo na Vida ( Anything Else , 2003) encontra na excêntrica figura de David Dobel (Woody Allen), o mentor de que tanto precisa. O rapaz tem dificuldades para dizer não e se desvencilhar das pessoas que o exploram, por exemplo, o seu agente Harvey (Danny DeVito) e a namorada, Amanda (Christina Ricci), e o mais velho o aconselha sobre como lidar com isso. As conversas diárias da dupla acontecem em diferentes e interessantes pontos do Central Park.  Fran Mateus visitando a

Nova York de Woody Allen: "Dirigindo no Escuro" (2002)

Imagem
"Aqui, eu sou um vagabundo. Mas lá, eu sou um gênio. Graças a Deus que os franceses existem." (Val) Val (Woody Allen) e Ellie (Téa Leoni) em Dirigindo no Escuro. Foto: divulgação O diretor de cinema, Val (Woody Allen), passa por maus bocados até ter o seu nome considerado para assumir a direção de  A Cidade que Nunca Dorme , uma oportunidade única para a sua estagnada carreira. No entanto, um dia antes de começarem as filmagens, a ansiedade o deixa fisicamente cego e sem saber o que fazer: contar para os produtores do filme o que aconteceu ou usar alguns subterfúgios para filmar esse que parece ser o grande projeto da sua vida profissional? Pelo título em português,  Dirigindo no Escuro ( Hollywood Ending , 2002), fica claro que ele optou pela 2ª alternativa. Na primeira vez que vai ao Plaza Hotel, para encontrar-se com o produtor do filme A Cidade que Nunca Dorme , Val passa por esse belo hall, decorado com um candelabro espetacular.  Parte desse filme foi ro

Nova York de Woody Allen: "O Escorpião de Jade" (2001)

Imagem
"Achei o Picasso desaparecido." "Não acredito. Como conseguiu?" "Não foi fácil. Eu procurava o quadro de uma mulher com violão, mas esse só tem cubos. Eu levei duas horas para achar o nariz." (Conversa entre C.W. Briggs e o seu chefe)  C.W. Briggs e Betty Ann sendo hipnotizados durante um show de mágica. Foto: divulgação O filme O Escorpião de Jade ( The Curse of the Jade Scorpion , 2001) se passa na década de 1940, uma época em que os detetives ainda precisavam se valer mais das suas habilidades dedutivas, do que de qualquer artefato tecnológico, para solucionar crimes. E, nesse quesito, C. W. Briggs (Woody Allen) se considerava um gênio, chegando a afirmar que teria medo de ter que perseguir a si mesmo, caso fosse bandido. Ele diz isso pouco antes de, sem saber como, se ver envolvido num roubo de joias, e precisar achar um jeito de ser inocentado da acusação. Para piorar a sua vida, a  agência de detetives onde trabalha coloca

Nova York de Woody Allen: "Trapaceiros" (2000)

Imagem
Cena do filme "Trapaceiros", na fictícia loja Sunset Cookies Foto: divulgação O trambiqueiro Ray (Woody Allen) nem bem deixou a prisão e já está bolando uma forma de voltar ao mundo do crime. Seu plano é o seguinte: alugar uma loja que fica ao lado de um banco, colocar a esposa para vender cookies nela, chamar uns parceiros para cavarem um buraco até a instituição financeira e, juntos, roubarem um cofre recheado de dólares. Simples, assim. Acontece que as coisas não saem exatamente do jeito como ele planeja, mas, de alguma forma, a turma de  Trapaceiros ( Small Time Crooks , 2000) acaba se dando bem. Assista ao filme e entenda como. O Milagre dos Pães e Peixes   A tela de Tintoretto foi apreciada por David, Frenchy e Ray, durante uma visita ao MET. Foto: Fran Mateus O guia Nova York de Woody Allen visitou alguns lugares mostrados nesse filme, como o prédio para onde Ray e Frenchy (Tracey Ullman) se mudam, quando enriquecem, no 1165 da Park Avenue; o edifíc

Nova York de Woody Allen: "Poucas e Boas" (1999)

Imagem
“ Poucas e Boas  se passa no país inteiro – Chicago, Nova York, Atlantic City, Califórnia – mas eu nunca quero dormir fora de casa nem por uma noite (porque à noite eu gosto de dormir na minha cama), então ele (Santo Loquasto) faz parecer que estamos lá. Ele não tem dinheiro, e você vê o filme e vê a Califórnia, vê os estúdios com as palmeiras, e vê a viagem pelo país, vê Chicago, e a carne sendo empacotada e as vacas. Nisso o Santo é milagroso”. (Conversas com Woody Allen)  Sean Penn no papel de Emmet Ray, um talentoso músico da Era do Jazz. Foto: divulgação Poucas e Boas ( Sweet and Lowdown , 1999) é um “documentário” sobre a vida de Emmet Ray (Sean Penn), o segundo melhor músico de jazz dos Estados Unidos, depois de Django Reinhardt (Michael Sprague). Talentoso e egocêntrico, Ray roda o país, durante a Grande Depressão, em busca de trabalho. No caminho, ele conhece duas mulheres importantes para a sua vida: a muda, Hattie (Samantha Morton); e a esperta, Blanche (Um