Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2012

Uruguai: de ponta ... a Punta

Imagem
A ponta da viagem em Colônia del Sacramento A 'ponta' é em Colônia del Sacramento , palco de disputas territoriais entre espanhóis e portugueses. Quem ganhou foi a arquitetura local, que herdou o estilo de ambos povos europeus. A cidade data de 1680 e é considerada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Montevidéu  Em Montevidéu , fui conhecer o Café Brasilero , o mais antigo da cidade. F u ndado em 1877, o lugar era o ponto de encontro dos intelectuais de outras épocas. Meu lado romântico quer acreditar que ele continua atraindo esse público até os nossos dias e mantendo a sua posição de espaço que atiça a criatividade e a formação de opinião dos pensadores atuais.  Na minha segunda visita a cidade, não podia deixar de registrar a minha presença com uma foto no Palácio Salvo . Inaugurado em 1928, ele foi considerado o mais alto da América Latina por muito tempo. O Sávio tem uma beleza arquitetônica única! Piriápolis  Piriápolis (ou Piria, pa

Enquanto isso, perto de Lisboa...

Imagem
SINTRA Apaixonei-me por Sintra ! Primeiro, eu a vi na minissérie "Os Maias" . Coloquei o destino na minha agenda de viagens e fui conhecê-la quando estive em Portugal. Na foto, o centro histórico visto do Castelo dos Mouros. Uma das mais belas cenas de "Os Maias" foi feita no Castelo dos Mouros . Lá, Pedro da Maia  inicia o seu romance com Maria Monforte. Na foto, estou com aquele sorriso de sonho realizado. A minissérie foi uma adaptação feita por Maria Adelaide Amaral da obra de Eça de Queirós. Entrada do Palácio da Pena . Fiquei imaginando aquelas antigas charretes entrando pelo estreito espaço a procura de festas e jantares reais. Lord Byron (1788-1824) foi um dos maiores divulgadores da beleza de Sintra para o mundo. Dizem que é dele a frase " Viajar pelo mundo sem conhecer Sintra, é viajar às cegas ...". Faço minhas as palavras do lorde inglês. ESTORIL Ian Fleming sempre esclareceu que foi a partir de uma visita a

Conhecendo Lisboa, em Portugal

Imagem
Rua Augusta, na Baixa, lugar muito citado no livro 'Trem Noturno para Lisboa'.

Os Melhores Guias de Viagem & Cinema

Imagem
Coleciono guias de viagens sobre locações de cinema, literatura e arte desde 2005, quando adquiri o meu primeiro livro 'Location London', de Mark Adams, sobre cenários de filmes rodados na capital inglesa. Desde então, são mais de 10 guias com esta temática. Com ótimos textos, eles são excelentes fontes de consulta para este blog e para as minhas viagens pelo mundo do cinema. Entre os meus favoritos, estão: On Location - cities of the world in film , de Claudia Hellmann e Claudine Weber-Hof The worldwide guide to movie locations , de Tony Reeves (que também possui um site fantástico sobre o assunto com link neste blog). New York: the movie lover´s guide , de Richard Alleman    A Nova York de Carrie, Samantha, Charlotte e Miranda , de Teté Ribeiro Lisboa em Pessoa , de João Correia Filho À Luz de Paris , de João Correia Filho  Paris Movie Walks , de Michael Schuermann E foram todos para Paris , de Sergio Augus

Austrália & eu, paixão pelo ABBA

Imagem
Björn, Benny, Agnetha e Anni-Frid num tour pela baía de Sydney. Os australianos curtem tanto o ABBA que, mesmo após todos estes anos de afastamento dos palcos, eles prestam homenagem de fim de ano ao grupo sueco. Tive o prazer e a oportunidade de passar um Natal em Sydney e, na véspera da festa, fiquei contente de assistir na tv, um especial com as canções do ABBA sendo interpretadas pelos principais nomes da música local (num show bem parecido com aquele que a Globo faz com Roberto Carlos). Foi muito bacana assistir o espetáculo e escutar as músicas de um grupo que eu curto tanto quanto os australianos num autêntico território aussie . Naquela noite de dezembro de 2006, Dancing Queen, Mamma Mia, Take a Chance on Me, Super Trouper , dentre tantas outras canções, foram interpretadas por ícones musicais de todas as idades, mostrando que a paixão pelo ABBA é transmitida de geração para geração.   Havia, no entanto, uma música que nunca tinha escutado antes e que se tornou

2012: O ano em que o cinema não acabou (última aula)

Imagem
 É muito agradável encerrar um ano de estudos com um curso sobre cinema, ministrado por um crítico tão brilhante como  Christian Petermann !  A última aula de 2012: o ano em que o cinema não acabou foi sobre o nosso cinema nacional e representantes dos cines argentino, chileno e uruguaio. Conheça abaixo alguns dos filmes mais instigantes de 2012, com comentários feitos em aula sobre eles: 2 Coelhos, de Afonso Poyart. "O filme não desacelera... É tremendamente bem acabado!" Billi Pig, de José Eduardo Belmonte. "Uma chanchada contemporânea produzida com uma série de novas ideias." Elefante Branco, de Pablo Trapero. "O nosso vizinho argentino mostrando sua qualidade na produção de um filme de periferia." Histórias que só existem quando lembradas, de Júlia Morat. "O filme nacional mais premiado internacionalmente (34!!!!) em 2012." Na lista ainda estão: Cara ou Coroa, de Ugo Georgetti Era uma vez eu, Verônica, de M

"O Código Da Vinci" em Paris e Londres

Imagem
Se existe um filme que inspirou - e continua inspirando! - turistas do mundo inteiro a procurar, avidamente, por suas locações na França, Inglaterra e Escócia, ele se chama ‘O Código Da Vinci” ( The Da Vince Code , 2006). Baseado num dos maiores best-sellers dos últimos anos, escrito por Dan Brown, ‘O Código’ tem em Paris e Londres algumas das suas principais locações e foi para estas duas cidades européias que eu, misturando-me à leva de curiosos movietrotters , segui em busca de respostas, ou melhor, dos fantásticos cenários usados no filme.   Locações em Paris: O Museu do Louvre Tudo começa e termina no Museu do Louvre . Ali, na Grande Galeria, Jacques Saunière é assassinado e monta suas pistas para Sophie Neveu (Audrey Tautou) e Robert Langdon (Tom Hanks) . A tela da Monalisa , pintada por Leonardo Da Vinci, é a mais procurada pelos turistas. Para conseguir tirar uma boa foto (como esta, acima, que eu consegui tirar sem muita gente por perto), chegue cedo (e

Woody Allen num tour de jazz pela Europa

Imagem
Em 1996, a banda de jazz de Woody Allen fez um tour pela Europa. Foram 18 cidades em 23 dias. Através do documentário “Um retrato de Woody Allen” , produzido pela cineasta Barbara Kopple, podemos viajar com Allen por algumas das cidades contempladas pelo tour e, de quebra, conhecer um pouco da sua personalidade e do seu relacionamento com a esposa, Soon Yi, a irmã, Letty Aronson, os membros da banda e os fãs em geral. Os músicos do tour: No clarinete, Woody Allen; no trombone, Dan Barris; no trompete, Simon Mittenhall; na bateria, John Gill; no baixo, Greg Cohen; no piano, Cynthia Saire; e, no banjo e dirigindo a banda, Eddie Davis. Viajando com Woody Allen Paris . Começo do documentário com pit stop na Cidade Luz. Woody  para na capital francesa para dormir entre o voo de Nova Iorque e o outro, que o levará a Madri. Lá, ele comenta que a Cidade Luz não tem a mesma emoção que NY, mas, em compensação, é mais bonita e consegue ficar nublada quese que o tempo todo, algo que é

"Intocáveis", um brinde à amizade no Les Deux Magots

Imagem
Intocáveis ( Intouchables ) é um filme sobre a amizade entre Philippe (François Cluzet) e Driss (Omar Sy). O primeiro é um homem muito rico que fica tetraplégico. O segundo, não tem experiência e nem interesse inicial no cargo, mas vira seu assistente pessoal. Driss tem passagens pela polícia e muitos problemas em sua família. Philippe, por sua vez, só deseja ser tratado de forma natural, sem piedade, e encontra isso no novo amigo. O filme, que mexe muito com as emoções do espectador, conseguiu levar mais de 18 milhões de franceses ao cinema, um feito inédito para aquele país. Cena no Les Deux Margots Foto: divulgação Com belas cenas em Paris, uma delas chamou-me a atenção: aquela feita no Les Deux Magots , um café histórico – ele foi fundado em 1884 – e que foi muito frequentado por artistas (Pablo Picasso era um deles) e pelos grandes nomes da literatura do passado (especialmente, Jean Paul Sartre e Simone de Beauvoir). Driss levou Philippe até o Les Deux Magots numa ma

007 - Operação Skyfall pelo mundo

Imagem
Fotos: divulgação Bond, James Bond (Daniel Craig) retorna em "007 Operação Skyfall" com a finalidade de proteger M (Judi Dench) contra um rival à altura, um antigo 00 chamado Raoul Silva (Javier Bardem) que quer vingar-se da chefe do M-I6. O filme tem adrenalina para dar e vender e locações fora de série em Istambul, Hong Kong, Macao e Londres, além de cenas rodadas em Buckinghamshire e Escócia.   Bond tentando alcançar o inimigo pelas ruas de Istambul. As cenas aéreas de Hong Kong são as mais fantásticas do filme. Beleza de tirar o fôlego! Na foto, Bond aguardando a hora de atacar num dos arranha-céus da cidade. O ' Dragon Casino ' em Macao. Cena feita nos estúdios da Pinewood, em Buckinghamshire, Inglaterra. Na National Gallery, em Londres, aguardando Q com seu arsenal de ataque. Bond admirando Londres do alto do MI-6. Rumo à Escócia à bordo do velho, e famoso, Aston Martin, usado em outros filmes da franquia 007.