Postagens

Mostrando postagens de Março, 2014

Rio 2 - a Cidade Maravilhosa e a Floresta Amazônica

Imagem
Fotos do filme: divulgação Carlos Saldanha traz de volta Blu (Jesse Eisenberg) e Jade (Anne Hathaway) em " RIO 2 ".  Desta vez, o casal de araras-azuis se embrenha numa viagem do Rio de Janeiro até a Selva Amazônica, logo após escutar de Tulio (Rodrigo Santoro numa dublagem fantástica) e Linda, que existem evidências de que outros pássaros semelhantes a eles habitam a floresta. O filme estreou neste último 27/03. Eu fui conferir e ri bastante. A dica é não fazer muitas comparações com o primeiro "RIO". A trupe toda está lá - o buldogue Luiz, os pássaros Nico, Rafael e Pedro, o vilão Nigel - mas a história é diferente. Nesta, Jade reencontra seu pai (Andy Garcia, no melhor estilo "O Poderoso Chefão III" - risos!) e amigos do passado. O problema muda de tráfico de aves raras para desmatamento florestal. Tudo isso regado a momentos impagáveis: Blu (com sua pochete de turista e um GPS que ganhou de Linda) e Túlio (com seu jeitão desligado e u

Jules e Jim - uma mulher para dois

Imagem
Divulgação Hoje, um pouco de elegância e irreverência com “ Jules e Jim ”, de 1962, um dos filmes mais famosos do diretor François Truffaut, célebre nome da Nouvelle Vague e da revista Cahiers du Cinéma .  Trata-se da história dos amigos que emprestam os seus nomes ao título do filme, amizade que começa na Paris do início do século XX, pouco antes de estourar a I Guerra Mundial. O alemão Jules (Oskar Werner) conhece o francês Jim (Henri Serre - foto) durante as aulas de esgrima, eles descobrem que têm interesses e pontos de vista muito parecidos e tornam-se melhores amigos.   Jules é tímido e tem dificuldade com as mulheres; Jim, em contrapartida, é belo e requisitado por elas. Um dia, os dois conhecem Catherine (Jeanne Moreau), uma mulher com ideias muito modernas para a sua época, e a incluem no seu círculo de amizades. Com Catherine, os rapazes passeiam por Paris, pelas praias e campos franceses, frequentam cafés e discutem política, filosofia e outros assuntos mais. Qua

Walt nos Bastidores de Mary Poppins

Imagem
Queda de braço. É assim que o relacionamento entre Pamela Lyndon Travers (Emma Thompson) e Walt Disney (Tom Hanks) flui na tela do cinema. A criadora da leve Mary Poppins é uma senhora amargurada com a morte prematura do pai, Sr. Travers Robert Goff (Collin Farrell), que aconteceu quando ela tinha oito anos de idade, e criou a personagem da babá inglesa como uma forma ficcional de salvá-lo do seu destino. Disney, por sua vez, cortejou –no sentido profissional da palavra- essa mulher ranzinza, por 20 anos, na tentativa de obter os direitos de transformar a história de Poppins num musical. Tudo para honrar uma promessa que fez para as filhas. Walt Disney (Hanks) e P.L.Travers (Thompson) num passeio pelos parques da Disney, de Los Angeles, numa tentativa do americano de quebrar o péssimo humor da australiana.  A equipe de filmagem em ação. O filme começa em Londres, com a escritora tendo que confrontar a sua realidade de total falta de dinheiro e se vendo obrigada a

"Philomena"

Imagem
Sozinha, ela já valeria o ingresso do cinema. Combinada com Steve Coogan, Judi Dench fica imbatível! No filme de Stephen Frears (o mesmo diretor de "A Rainha"), Judi interpreta Philomena, uma mulher que teve o filho, Anthony, 'arrancado' dos seus braços para uma adoção não desejada, realizada por freiras do Convento Roscrea.  Quase 5 décadas depois, ela conta o segredo para a filha mais nova. A jovem aborda o jornalista político, Martin Sixsmith (Coogan), pedindo que ele escreva sobre este passado materno e ajude Philomena a encontrar o filho perdido. Divulgação O desejo original de Martin era escrever uma história política russa. O que ele não imaginava, ao aceitar escrever a história de Philomena, era que acabaria se envolvendo nos bastidores políticos do Governo Bush (pai) e que Anthony seria, na verdade, o assessor do Presidente dos Estados Unidos da América, cujo nome fora alterado para Michael. Irlanda do Norte, Reino Unido Divulgação Após

A Volta ao Mundo em 80 Dias, de Júlio Verne

Imagem
“ Em 1872, a casa número 7 de Saville Row, Burligton Gardens, era habitada por Phileas Fogg, membro dos mais singulares e dignos de reparo do Reform Club de Londres, apesar de sistematicamente, segundo parecia, evitar nos seus atos tudo o que pudesse de algum modo despertar a atenção dos seus compatriotas ”. Fogg era incontestavelmente rico. Porém, não usava o seu dinheiro para sair de Londres. A ele apetecia fazer o percurso diário casa–clube-casa. Seus passatempos eram ler jornal e jogar whist. João Passepartout, o outro personagem da história de Júlio Verne, era um rapaz com aptidão natural para sair das complicações da vida. Havia sido cantor ambulante, artista de circo, professor de ginástica e até cabo de bombeiros. Mas, naquele momento, ele só queria sossego. E, trabalhar para Phileas Fogg parecia ser o mais adequado na busca de realizar esse desejo. Passepartout foi contratado como criado do fidalgo no dia 2 de outubro, exatamente à 11 horas e 29 minutos. Depo

"Latitudes"

Imagem
Amei Latitudes . Simplesmente! Amei Paris . Café de Flore. Semana de Moda. Amei Londres . Bar de hotel. Quarto de hotel. Frio na cidade. Amei Veneza . Gôndola. Danieli. Amei a Estância Vik, em  José Ignácio (Uruguai) . Amei a paisagem. Amei São Paulo . Chuva e noite. E Porto ? Dá para não amar? Não, não dá! Amei a caminhada noturna. Do tesão à paixão. Amei tudo. Amei Buenos Aires. Um café em Buenos Aires . Varela. Dá para ler e viver. Dá para terminar uma relação. E começar outra. Dá prá tudo. Amei Istambul . Amei tudo nessa filme. Latitudes . Tudo. A fotografia do filme. Daniel de Oliveira é fotógrafo. O figurino. E aquelas roupas maravilhosas de Alice Braga. Amei todo o guarda-roupa dela. Uma editora de moda poderosa e ocupada, baby . Um caso ao acaso. Um caso em tantas cidades diferentes. Maravilhosas. Amei as locações mundo afora. Amei Latitudes ! Faça um tour pelo mundo com Olívia e José...    Alícia enfrentando o seu presente, em Buenos Aires. José vai ao